Tag Archives: Transformação

Análise do processo de transformação que Jesus realizou no caráter de Pedro

download
 

 

“Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Mateus 16:17

No antigo Israel, mantinha-se o costume de associar o nome ao caráter pessoal. A Bíblia registra, em algumas passagens, Deus substituindo nomes em razão de uma mudança de caráter. Por exemplo, Deus mudou o nome de Jacó (que significa: usurpador) por Israel (que significa: príncipe de Deus); mudou o de Abrão (que significa: pai exaltado) por Abraão (que significa: pai de uma multidão).

Desta mesma forma, Jesus disse a Simão que ele seria chamado de Pedro. Simão significa aquele que vacila; já o nome Pedro significa: pequena rocha (pedrinha). Jesus nunca chamou Pedro de Pedro, mas sempre de Simão.

Pedro tinha um caráter oscilante, vacilante, por isso toda as vezes que Jesus o chamava dizia: Simão, Simão…

A Psicologia nos ajuda a compreender melhor o comportamento humano e o define em quatro temperamentos, que são: colérico, melancólico, fleumático e sanguíneo. Todos temos um pouco dos quatro, mas sempre haverá um desses que se destacará.

Os coléricos são pessoas dominadoras. Seu ponto positivo é que têm espírito de liderança. Mas seu ponto negativo é que gostam de mandar e dificilmente aceitam opiniões.

Os melancólicos são pessoas perfeccionistas. Seu ponto positivo é que são dedicados, porém cobram muito de si mesmos, não aceitam errar e, quando erram, se autofragilizam.

Os fleumáticos são pessoas tranquilas. Seu ponto positivo é a paciência e o controle que têm de tudo. Já seu ponto negativo é que são pacientes até demais e se tornam muito dependentes dos outros.

Os sanguíneos são pessoas calorosas, receptivas. Seu ponto positivo é que são sempre positivas e de bom humor, porém muito emotivas e agem por impulsos: primeiro falam e depois pensam.

Simão (Pedro) era sanguíneo e, como tal, estava pronto pra tudo. Por isso ele sempre vacilava. Em João 13:8 a 10, Jesus está lavando os pés dos discípulos e Pedro diz: os meus o Senhor não lava! Jesus então lhe responde: Simão, aquele a quem eu não lavar os pés não tem parte comigo! No mesmo instante Simão (Pedro) diz: Então me lave os pés, as mãos e a cabeça! Ele sempre vacilava e ia de um extremo a outro. Simão (Pedro) já era uma pedra, porém bruta, à qual Jesus precisou lapidar.

Segundo o Dr. Tim Lahaye, em seu livro “TEMPERAMENTOS TRANSFORMADOS”, Simão (Pedro) era sanguíneo e, como tal, estava pronto para tudo. Por isso sempre vacilava. Podemos aprender algumas lições desse processo de transformação.

O querer só é poder quando se tem ajuda de Cristo – Mt 14: 29-31

“Respondeu-lhe Pedro: Senhor! se és tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas. Disse-lhe ele: Vem. Pedro, descendo do barco, e andando sobre as águas, foi ao encontro de Jesus. Mas, sentindo o vento, teve medo; e, começando a submergir, clamou: Senhor, salva-me. Imediatamente estendeu Jesus a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?”

Pedro desejou fazer o mesmo que Jesus estava fazendo, isto é, compartilhar do mesmo poder de andar sobre as águas, mas nem sempre o querer é poder. Quando Pedro começou a andar, se esqueceu de que só estava andando porque Cristo o sustentava. Então, num simples vacilo, deixou de olhar para Jesus e voltou-se às circunstâncias que o desestabilizaram, levando-o, em fração de segundos, do sólido patamar da fé ao desequilíbrio emocional e racional humano.

Nós somos vulneráveis a todo tipo de tormentas. Qualquer situação que nos tire de nosso cotidiano previsto já nos desestabiliza emocionalmente. É nesse momento que devemos voltar nossos olhares a Cristo e saber que o impossível só tem efeito sobre nós quando nos seguramos pela fé nas potentes mãos do nosso Senhor.

O querer de Simão (Pedro) só era poder porque Cristo o ajudava. Sem Cristo, não há nenhuma possibilidade de sucesso!

Agir com piedade e não com agressividade. João 18:10

“Então Simão Pedro, que tinha uma espada, desembainhou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malco.”

Simão (Pedro) provavelmente tinha herdado seu forte temperamento de seus pais, mas agora era a hora de herdar o temperamento do Pai celestial, que são o controle próprio e a mansidão. Ele queria resolver a situação na base da violência, da agressão. Jesus o repreende, e mostra que tem o controle da situação. Piedosamente, Jesus cura Malco, mostrando que a piedade é melhor que agressividade. A Bíblia diz:  “…não por força nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor!” Zacarias 4: 6.

Quantas pessoas existem hoje que têm o mesmo temperamento que Simão (Pedro) e procuram resolver seus problemas com violência, no impulso. Com isso, fazem inimizades, constroem muralhas ao invés de pontes, e se encontram sozinhas devido à ignorância e à estupidez de suas atitudes. Devemos aprender com Jesus que a piedade é melhor que a agressividade, e herdar do Pai celestial o fruto do Espírito descrito em Gálatas 5: 22.

Nosso ego precisa ser quebrado. Mateus 26: 69-75

“Ora, Pedro estava sentado fora, no pátio; e aproximou-se dele uma criada, que disse: Tu também estavas com Jesus, o galileu. Mas ele negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes. E saindo ele para o vestíbulo, outra criada o viu, e disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o nazareno.

E ele negou outra vez, e com juramento: Não conheço tal homem. E daí a pouco, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Certamente tu também és um deles pois a tua fala te denuncia. Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou. E Pedro lembrou-se do que dissera Jesus: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, saindo dali, chorou amargamente.”

Pedro era cheio de si. Achava que estava preparado, confiava em si próprio e afirmava que nunca abandonaria a Jesus e, se preciso fosse, morreria com ele. Jesus passa a ensiná-lo uma nova lição, a de que Ele nos conhece melhor do que nós mesmos, e sabe do que somos capazes. Pedro tinha de aprender a confiar mais em Jesus e menos em si próprio. “Maldito o homem que confia no homem…”, diz Jeremias 17:5. Com certas pessoas não dá para brincar de esconde-esconde, porque elas se acham! Pedro julgava-se preparado, mas caiu em si, depois de ter negado a Cristo por três vezes e ouvido o galo cantando: vacilão-ããã-ãoo…

Se fosse você no lugar de Pedro, você também negaria Jesus?

Negar Jesus não consiste necessariamente em dizer: “não o conheço”. Negar a Jesus pode estar no simples fato de viver uma vida antibíblica, ou de conhecer a verdade e não a praticar, ou de viver como se Ele não estivesse presente o tempo todo conosco ou, ainda, confiar mais em nossas capacidades que nas d’Ele.

Precisamos renunciar um pouco mais de nosso eu e vivermos um pouco mais para Ele. E ter a mesma humildade que teve João Batista quando disse: “… convém que Ele cresça, e que eu diminua.” João 3:30.

O verdadeiro amor supera todos os erros do passado – João 21:15-17

Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.”

Jesus, já ressurreto, perguntou por três vezes: Simão Pedro, tu me amas? E a resposta de Simão foi: sim, Senhor, tu sabes que te amo! Esse amor foi forte o suficiente para transpor os erros do passado e mostrar que o Simão agora era Pedro!

Jesus insistiu na pergunta não porque não conhecesse a resposta e o coração de Pedro, mas para mostrar que o Simão agora estava tratado, depois de tantos erros e vacilos, havia se transformado num homem diferente e maduro, provado pelo fogo e aprovado pela misericórdia e graça de Cristo, pois agora estava surgindo o Pedro que passamos a conhecer no livro de Atos, de um caráter firme e convicto do seu amor por Jesus!

Depois dessas experiências, Pedro passa a ter o cuidado de não mais vacilar, e isso se torna evidente em suas Epístolas. No verso primeiro da Primeira Epístola de Pedro, ele se apresenta como: “Pedro, apóstolo de Jesus Cristo…”

Já em sua Segunda Epístola ele repara sua apresentação e diz: “Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo…” 2Pe 1:1. Ele observa que antes de ser Pedro ele é Simão, e antes de ser apóstolo ele é servo! Assim, depois de tantos vacilos, Simão se tornou Pedro!

Quem sabe você tenha sido até hoje um Simão (um vacilão) na fé, mas hoje Jesus lhe chama para ser Pedro (uma rocha), alicerçado, firmado, com um caráter irrepreensível.