Tag Archives: Drogas

O Cristão e as Drogas

 

 DIGA NÃO

Drogas não!

O cristão é pessoa que é dotada de liberdade, porque alcançou a salvação e a liberdade do cristão é incompatível com qualquer vício, vez que o vício escraviza o homem. Por isso, o cristão sincero e verdadeiro não se deixa dominar por qualquer vício.

INTRODUÇÃO

- Na história da humanidade, o homem sem Deus, imerso no pecado, é cegado pelo deus deste século (II Co.4:4) e, assim, não vê a realidade da vida. Em conseqüência disto, deixa-se dominar por coisas banais e por ilusões. Surgem daí os vícios que têm perpassado a história humana, sendo um eficaz instrumento para a destruição de preciosas vidas. Por isso, vemos que o vício é uma arma satânica, pois dele é o trabalho para roubar, matar e destruir as pessoas (Jo.10:10). Não nos deixemos, pois, enganar com eles !

- Vício, dizem os dicionaristas, é ” 1 Defeito físico ou moral; deformidade, imperfeição. 2 Defeito que torna uma coisa ou um ato impróprios, inoperantes ou inaptos para o fim a que se destinam, ou para o efeito que devem produzir. 3 Falta, defeito, erro, imperfeição grave, viciação, viciamento. 4 Disposição ou tendência habitual para o mal. 5 Hábito de proceder mal; ação indecorosa que se pratica por hábito. 6 Costumeira. 7 Costume condenável ou censurável. 8 Degenerescência moral ou psíquica do indivíduo que, habitualmente, procede contra os bons costumes, tornando-se elemento pernicioso ao meio social, ou com este incompatível” (DICMAX Michaelis).

Ora, bem se vê, por estes oito significados, que um crente não pode ter vícios, pois é filho de Deus, que anda segundo o Espírito (Rm.8:1), que caminha para a perfeição (Ef.4:12,13), que não pratica o mal, mas o bem (II Co.13:7), que não se deixa dominar por coisa alguma (I Co.6:12), que está liberto por Jesus Cristo (Jo.8:31-36).

O CRISTÃO E AS DROGAS

- Outro mal que tem assolado a sociedade moderna tem sido o do vício das drogas, assim entendidas todas as substâncias que causam dependência física ou psíquica e cujo uso é proibido, normalmente, pelas legislações ao redor do mundo, tendo em vista os grandes males que causam à saúde. Na verdade, o que se disse a respeito do fumo serve para as demais drogas que, embora, ao contrário da nicotina, não sejam permitidas pelas legislações (em alguns países, até, algumas delas já tem uso permitido), causam o mesmo mal que aquela, destruindo o ser humano em todos os aspectos.

- Com efeito, todas estas substâncias, que têm sido consumidas cada vez mais, gerando um comércio que só perde para o tráfico de armas em magnitude no mundo de hoje, são altamente nocivas ao organismo, criando um sem-número de problemas, pois, além da dependência química, que faz com que a pessoa não consiga mais viver sem ela e, para obtê-la, pratique toda a sorte de arbitrariedades, inclusive crimes da mais variada espécie, há uma destruição do organismo, de modo que, mais cedo ou mais tarde, há graves comprometimentos na saúde do corpo, quando não ocorre a morte.

- Naturalmente que um cristão sincero, que não se pode deixar dominar por coisa alguma desta vida, muito menos permitir a destruição do nosso corpo, que é templo do Espírito Santo, jamais pode se envolver com tais substâncias. O uso destas substâncias está relacionado à falta de perspectiva na vida, à falta de esperança, ao desencanto com a existência, ou seja, à falta de Deus na vida do homem.

- A droga sempre se apresenta para o usuário (que depois vira viciado) como um escape da realidade triste e dura que está vivendo, como uma forma de alcançar alegria, de realizar sonhos e fantasias. Na verdade, o uso da droga só é possível na medida em que o homem descarta a dimensão espiritual e desconsidera o amor de Deus. É por isso que somente a igreja tem condições de fazer um trabalho eficaz e permanente que liberte as pessoas do vício e das garras do narcotráfico. Cristo é a esperança da glória (Cl.1:27) e quem nEle crer não será confundido (Rm.9:33). Quem conhece e aceita a Cristo não precisa correr atrás de fugazes momentos de euforia ou de prazer, pois é uma alma satisfeita e plena do amor de Deus. Como diz conhecido cântico, para o cristão, Jesus é a dose mais forte dentro de nós!

- Nos dias tão difíceis que vivemos é necessário que a igreja seja particularmente vigilante com relação à sua juventude e adolescência, orientando-a a respeito das drogas e impedindo que os conflitos naturais desta faixa etária façam com que os jovens e adolescentes acabem caindo nas garras dos traficantes, cuja falta de escrúpulos e ganância desmedidas são cada vez mais ousadas e crescentes. Os pais devem estar sempre atentos ao comportamento de seus filhos e ministrar-lhes a Palavra de Deus, o único antídoto para as drogas. Devem ser companheiros de seus filhos e ajudar-lhes a administrar os conflitos e angústias, típicos da adolescência e juventude, impedindo, assim, que sejam enganados pela ilusão das drogas.

- A igreja deve ter particular atenção aos seus membros que são oriundos de lares desajustados. Normalmente neoconversos que ainda não ganharam seus familiares para o Senhor, ou mesmo, pessoas que aceitaram a Cristo, mas que já se encontravam envolvidas com as drogas. A estes, a igreja deve agir no lugar dos pais e familiares que estão a faltar, bem assim ajudar o viciado a vencer o mal e a desfrutar de uma vida de plena comunhão com Cristo. Neste ponto, lamentamos o pouco empenho que as igrejas locais têm demonstrado junto a diversos irmãos que, tocados pelo Senhor, têm montado casas de recuperação de drogados, instituições cada vez mais necessárias na nossa sociedade e que, se estiverem dirigidas e coordenadas por ovelhas do Senhor com este chamado, serão poderosos instrumentos de evangelização.

- No mundo de hoje, de tanta maldade e profunda imersão no pecado, tem surgido crescente número de vozes defendendo a descriminalização das “drogas leves”, em especial a maconha, ou a criação de “áreas de permissão de uso de drogas”, atitudes que têm sido tomadas nos países da Europa Ocidental. Tais medidas têm sido propagandeadas como atitudes que diminuiriam o consumo de drogas, pois, com a legalização, cessariam os grandes lucros dos traficantes, bem como permitiria a identificação dos drogados e uma melhor política de prevenção e de tratamento destas pessoas. Entretanto, os países que têm adotado estas medidas não têm encontrado resultado algum nestas medidas. Muito pelo contrário, o consumo tem sido incentivado e o número de viciados tem aumentado. É mais uma tática satânica que tenta confundir o que é certo e o que é errado, para, com isto, continuar a fazer seu trabalho de matar, roubar e destruir vidas humanas, levando as para o inferno.


“Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras” (Tito 2:7a)

→ Uma mensagem direcionada especialmente aos jovens, mas dedicada a todo aquele que se diz seguidor fiel de Cristo Jesus.

A nossa parte: (Perguntas para reflexão)

1 – O que a Bíblia diz sobre as drogas?
2 – Como saberei se as drogas são prejudiciais para mim?
3 – Sendo cristão, será que posso experimentar drogas?
4 – Como são vistas as pessoas que usam drogas?
5 – Como são vistas as pessoas que vendem drogas?
6 – Devo investir meu dinheiro em drogas?
7 – Será que terei apoio se eu decidir usar drogas?

O que diz a palavra:

“Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.” (2 Coríntios 13:5)

Chegando ao entendimento: (Respostas as perguntas para reflexão)

1 – As drogas estão relacionadas aos vícios, o que a Bíblia condena como pecado. 
– “E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia.” (Romamos 1:28-31)
– “os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza.” (Efésios 4:19)

2 – A Bíblia nos ensina a abandonar toda forma de mal (pecado). 
– “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal.” (1 Tessalonicenses 5:16-22)

3 – Devemos governar nossos desejos com autocontrole. 
– “por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade” (2 Pedro 1:5,6)
– “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.” (Gálatas 5:22,23)

4 – Os viciados em drogas são vistos como insensatos, desobedientes, mentirosos, e por fim, ladrões. 
– “Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.” (Efésios 5:17)
– “No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra.” (Tito 1:16)
– “Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer.” (Provérbios 12:22)
– “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9,10)

5 – Os que comercializam drogas são vistos como tentadores e vendedores da morte. 
– “Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.” (Mateus 4:8-10)

6 – O nosso dinheiro pertence a Deus, somos apenas seus administradores. 
– “Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam.” (Salmo 24:1)

7 – A reprovação ao vício começa com Deus. 
– “Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue e estais esquecidos da exortação que, como a filhos, discorre convosco: Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado” (Hebreus 12:4,5)
– “No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra.” (Tito 1:16)

Aplicação:

1 – O cristão não vive pecando. 
– “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” (1 João 3:9)

2 – Não aprenda errando (rebeldia). Aprenda acertando (obediência). 
– “Estas coisas, irmãos, apliquei-as figuradamente a mim mesmo e a Apolo, por vossa causa, para que por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro.” (1 Coríntios 4:6)
– “Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste” (2 Timóteo 3:14)
– “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco.” (Filipenses 4:9)
– “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância;” (1 Pedro 1:14)

3 – O cristão fará é aquilo que agrada a Deus. 
– “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” (1 Coríntios 6:12)

4 – Sua conduta seja íntegra diante de Deus e dos homens. 
– “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão.” (Salmo 19:13)
– “Seja o meu coração irrepreensível nos teus decretos, para que eu não seja envergonhado.” (Salmo 119:80)

5 – Não entregue sua vida nas mãos de mercadores da morte, mas na de Deus. 
– “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte.” (Provérbios 16:25)
– “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10)

6 – Administre seu dinheiro para a glória de Deus. 
– “Veio, então, outro, dizendo: Eis aqui, senhor, a tua mina, que eu guardei embrulhada num lenço. Pois tive medo de ti, que és homem rigoroso; tiras o que não puseste e ceifas o que não semeaste. Respondeu-lhe: Servo mau, por tua própria boca te condenarei. Sabias que eu sou homem rigoroso, que tiro o que não pus e ceifo o que não semeei; por que não puseste o meu dinheiro no banco? E, então, na minha vinda, o receberia com juros.” (Lucas 19:20-23)

7 – Sejamos aprovados naquilo que fazemos. 
– “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.” (Tiago 1:12)

Leituras de encorajamento:

“Feliz o homem que me dá ouvidos, velando dia a dia às minhas portas, esperando às ombreiras da minha entrada. Porque o que me acha acha a vida e alcança favor do SENHOR. Mas o que peca contra mim violenta a própria alma. Todos os que me aborrecem amam a morte.” (Provérbios 8:34-36)

“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28)


 

ATÉ ONDE VAI A SUA LIBERDADE

O cristão é pessoa que é dotada de liberdade, porque alcançou a salvação e a liberdade do cristão é incompatível com qualquer vício, vez que o vício escraviza o homem. Por isso, o cristão sincero e verdadeiro não se deixa dominar por qualquer vício.

 

INTRODUÇÃO

 

- Na história da humanidade, o homem sem Deus, imerso no pecado, é cegado pelo deus deste século (II Co.4:4) e, assim, não vê a realidade da vida. Em consequência disto, deixa-se dominar por coisas banais e por ilusões. Surgem daí os vícios que têm perpassado a história humana, sendo um eficaz instrumento para a destruição de preciosas vidas. Por isso, vemos que o vício é uma arma satânica, pois dele é o trabalho para roubar, matar e destruir as pessoas (Jo.10:10). Não nos deixemos, pois, enganar com eles !

- Vício, dizem os dicionaristas, é ” 1 Defeito físico ou moral; deformidade, imperfeição. 2 Defeito que torna uma coisa ou um ato impróprios, inoperantes ou inaptos para o fim a que se destinam, ou para o efeito que devem produzir. 3 Falta, defeito, erro, imperfeição grave, viciação, viciamento. 4 Disposição ou tendência habitual para o mal. 5 Hábito de proceder mal; ação indecorosa que se pratica por hábito. 6 Costumeira. 7 Costume condenável ou censurável. 8 Degenerescência moral ou psíquica do indivíduo que, habitualmente, procede contra os bons costumes, tornando-se elemento pernicioso ao meio social, ou com este incompatível” (DICMAX Michaelis).

Ora, bem se vê, por estes oito significados, que um crente não pode ter vícios, pois é filho de Deus, que anda segundo o Espírito (Rm.8:1), que caminha para a perfeição (Ef.4:12,13), que não pratica o mal, mas o bem (II Co.13:7), que não se deixa dominar por coisa alguma (I Co.6:12), que está liberto por Jesus Cristo (Jo.8:31-36).

 

O CRISTÃO E AS DROGAS

- Outro mal que tem assolado a sociedade moderna tem sido o do vício das drogas, assim entendidas todas as substâncias que causam dependência física ou psíquica e cujo uso é proibido, normalmente, pelas legislações ao redor do mundo, tendo em vista os grandes males que causam à saúde. Na verdade, o que se disse a respeito do fumo serve para as demais drogas que, embora, ao contrário da nicotina, não sejam permitidas pelas legislações (em alguns países, até, algumas delas já tem uso permitido), causam o mesmo mal que aquela, destruindo o ser humano em todos os aspectos.

- Com efeito, todas estas substâncias, que têm sido consumidas cada vez mais, gerando um comércio que só perde para o tráfico de armas em magnitude no mundo de hoje, são altamente nocivas ao organismo, criando um sem-número de problemas, pois, além da dependência química, que faz com que a pessoa não consiga mais viver sem ela e, para obtê-la, pratique toda a sorte de arbitrariedades, inclusive crimes da mais variada espécie, há uma destruição do organismo, de modo que, mais cedo ou mais tarde, há graves comprometimentos na saúde do corpo, quando não ocorre a morte.

- Naturalmente que um cristão sincero, que não se pode deixar dominar por coisa alguma desta vida, muito menos permitir a destruição do nosso corpo, que é templo do Espírito Santo, jamais pode se envolver com tais substâncias. O uso destas substâncias está relacionado à falta de perspectiva na vida, à falta de esperança, ao desencanto com a existência, ou seja, à falta de Deus na vida do homem.

- A droga sempre se apresenta para o usuário (que depois vira viciado) como um escape da realidade triste e dura que está vivendo, como uma forma de alcançar alegria, de realizar sonhos e fantasias. Na verdade, o uso da droga só é possível na medida em que o homem descarta a dimensão espiritual e desconsidera o amor de Deus. É por isso que somente a igreja tem condições de fazer um trabalho eficaz e permanente que liberte as pessoas do vício e das garras do narcotráfico. Cristo é a esperança da glória (Cl.1:27) e quem nele crer não será confundido (Rm.9:33). Quem conhece e aceita a Cristo não precisa correr atrás de fugazes momentos de euforia ou de prazer, pois é uma alma satisfeita e plena do amor de Deus. Como diz conhecido cântico, para o cristão, Jesus é a dose mais forte dentro de nós!

- Nos dias tão difíceis que vivemos é necessário que a igreja seja particularmente vigilante com relação à sua juventude e adolescência, orientando-a a respeito das drogas e impedindo que os conflitos naturais desta faixa etária façam com que os jovens e adolescentes acabem caindo nas garras dos traficantes, cuja falta de escrúpulos e ganância desmedidas são cada vez mais ousadas e crescentes. Os pais devem estar sempre atentos ao comportamento de seus filhos e ministrar-lhes a Palavra de Deus, o único antídoto para as drogas. Devem ser companheiros de seus filhos e ajudar-lhes a administrar os conflitos e angústias, típicos da adolescência e juventude, impedindo, assim, que sejam enganados pela ilusão das drogas.

- A igreja deve ter particular atenção aos seus membros que são oriundos de lares desajustados. Normalmente neoconversos que ainda não ganharam seus familiares para o Senhor, ou mesmo, pessoas que aceitaram a Cristo, mas que já se encontravam envolvidas com as drogas. A estes, a igreja deve agir no lugar dos pais e familiares que estão a faltar, bem assim ajudar o viciado a vencer o mal e a desfrutar de uma vida de plena comunhão com Cristo. Neste ponto, lamentamos o pouco empenho que as igrejas locais têm demonstrado junto a diversos irmãos que, tocados pelo Senhor, têm montado casas de recuperação de drogados, instituições cada vez mais necessárias na nossa sociedade e que, se estiverem dirigidas e coordenadas por ovelhas do Senhor com este chamado, serão poderosos instrumentos de evangelização.

- No mundo de hoje, de tanta maldade e profunda imersão no pecado, tem surgido crescente número de vozes defendendo a descriminalização das “drogas leves”, em especial a maconha, ou a criação de “áreas de permissão de uso de drogas”, atitudes que têm sido tomadas nos países da Europa Ocidental. Tais medidas têm sido propagandeadas como atitudes que diminuiriam o consumo de drogas, pois, com a legalização, cessariam os grandes lucros dos traficantes, bem como permitiria a identificação dos drogados e uma melhor política de prevenção e de tratamento destas pessoas. Entretanto, os países que têm adotado estas medidas não têm encontrado resultado algum nestas medidas. Muito pelo contrário, o consumo tem sido incentivado e o número de viciados tem aumentado. É mais uma tática satânica que tenta confundir o que é certo e o que é errado, para, com isto, continuar a fazer seu trabalho de matar, roubar e destruir vidas humanas, levando as para o inferno.

Pr. Bernini