Tag Archives: Amor

Amor Cristão – O Mandamento de Cristo

images-1
 

O amor segundo a Bíblia.

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam que estamos falando de amor e não de relações carnais amados. O amor é gratuito irmãos e não dá direito a posse, mas oferece a oportunidade da entrega. Esta entrega é doação e não sacrifício, portanto não há amor menor ou maior, mas um amor único e verdadeiro. O amor não se Vangloria, não há amor em quem se exalta porque ama, até porque no amor não há soberba, mas um comportamento agradável e pacífico. Porque quem ama meus amados, não visa seus próprios interesses? Porque amar é justamente o oposto, é visar o interesse do outro. Porque não temos amor para nós mesmos, mas para doá-lo a outros. Relembremos “E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses.” (Marcos 12:31). Temos outra citação semelhante em “Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” (Lucas 10:27). O amor não se irrita, não se altera, não grita, não ofende, não trata mal amados. A Bíblia diz que a palavra branda desvia o furor. Então que sejamos doces, mansos e suaves no falar e no agir. O amor não é ciumento. Mas porque não? Porque o amor confia amados. O amor é seguro, não fica a mercê de desconfianças, vigiando o outro, procurando provas para incriminar. Os olhos de Deus estão em toda parte queridos, descansem no Senhor e amem-se em paz. Ora, nos diz ainda o versículo que o amor não folga com a injustiça. Amados tem coisa pior que aquela frase tão comum e tão usada que diz: “Bem feito!”. Amados, o amor não se alegra em ver alguém triste porque é injusto e ele não folga com a injustiça. O amor é Verdade, é Justiça e alegra-se na Verdade e na Justiça irmãos. Passou disso não é amor. O amor é sofredor queridos, sofre tudo, mas não perece, o amor não passa, não morre, o amor é imortal e não importa o quanto sofra. O amor é esperança, é fé, ele acredita, persevera, insiste e não desiste nunca, portanto, não se aparta. Ele suporta tudo amados. Analise cada característica do amor e busque exercitá-las queridos, não será fácil, mas voce conseguirá vitórias se perseverar nesta busca. Consagre, peça ao Senhor para crescer em seu amor, ore, peça e receberás. A Bíblia diz: “Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito.” (João 15:7), então peça amado, permaneça firme nos caminhos do Senhor e peça para que Ele restaure seu amor. Ósculo Santo e até a próxima.


Amor Cristão

Andréia Rocha Bello de Oliveira

Jesus disse que o primeiro e grande mandamento é amar a Deus de todo o coração, alma e entendimento; e o segundo, semelhante a este, é amar ao próximo como a si mesmo. Estes dois mandamentos são, portanto, a base da vida cristã.

Em I João 3 diz: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.”

João diz que se não amamos de fato a Deus e ao nosso próximo não conhecemos a Deus! É impossível conhecer a Deus sem viver em amor. Isso porque Deus é amor. Como conhecer Deus sem conhecer na prática o amor, ou como amar verdadeiramente sem conhecer a Deus?

Essa palavra é muito séria. É uma pena que quase não paramos para meditar nela, afinal ouvimos tanto que Deus é amor, que essa mensagem se tornou algo simples, automático em nossos corações. Porém, muitas vezes, por não meditarmos, ela não produz em nós mudança e uma busca por esse amor verdadeiro.

A Palavra diz que se alguém diz que ama a Deus, mas odeia o seu irmão, é mentiroso. Pois como alguém pode amar a Deus que não vê, se não amar a seu irmão a quem vê? Além disso, Deus diz que quem odeia a seu irmão é assassino! Diante da seriedade dessa palavra não há outra alternativa a não ser reavaliar os nossos corações, as nossas reais intenções e sentimentos para com o nosso próximo. Pois, quantas vezes nós dizemos que somos servos de Deus, que temos intimidade com Ele, mas não medimos esforços para pisar nas pessoas que nos cercam a fim de alcançarmos nossos objetivos. Fazendo isso somos mentirosos e o amor de Deus não está em nós, não somos nascidos de Deus!

Vemos assim que amar é o grande mandamento, imprescindível para quem deseja conhecer e servir a Deus. É isso que Jesus disse aos seus discípulos: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros” (João 13:35).

O amor é então uma condição para que venhamos a conhecer a Deus e, também, para sermos discípulos Dele. É a marca dos que seguem a Cristo. Além disso, o amor é condição necessária para que nos tornemos amigos de Deus: “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” (João 15:12-14).

Quais são, então, as principais características desse amor que devemos ter uns pelos outros?

* No texto que acabamos de ler, vemos o ideal de amor, que é um amor capaz de dar a própria vida pelo seu amigo, Jesus teve esse amor por nós. Portanto, devemos buscar tê-lo também para com as pessoas que nos cercam;

* Em Romanos 12:9, o apóstolo Paulo nos mostra uma outra característica do amor: “o amor seja não fingido”. Portanto, devemos ser sinceros em tudo, quando não nutrirmos um amor verdadeiro por alguém devemos nos consertar, mas em hipótese alguma devemos fingir sentir algo. Creio que a falsidade irrita profundamente o nosso Deus;

* O amor sincero nos leva a preferir em honra o próximo: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rm 12:10);

* Em Romanos 13:10 diz que “o amor não faz mal ao próximo. De modo que o amor é o cumprimento da lei”. Portanto, quem ama deseja o melhor para o próximo;

* Em I Coríntios 13 vemos outras características do amor: “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece; o amor jamais acaba”;

* Pedro nos admoesta a de coração amar-nos ardentemente uns aos outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados. Quem ama perdoa;

(I Pedro 1:22; 4:8).

* Em I Timóteo 1:5 diz que o amor procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.

É, o amor é fundamental. Foi por amor que Deus nos chamou e nos atraiu para si. Foi por amor que Jesus se entregou até a morte para que tivéssemos vida. Foi por amor que Jesus não nos deixou órfãos, antes nos enviou Seu Espírito, que é o Consolador. É por amor que a cada dia Ele nos perdoa e nos dá uma nova chance. É por amor que Ele não desiste de nós, mesmo quando nós desistimos Dele. Esse é o nosso Deus, Deus de infinita graça, de misericórdia, de bondade, de paciência… muitos são os atributos do nosso Deus e o maior deles é o Seu amor!

Só há uma forma de retribuirmos tudo quanto Ele tem feito por nós, aliás, só há uma coisa que Ele espera de nós: amor. Pois do amor derivam todas as outras qualidades que um cristão precisa ter. O amor une perfeitamente todas as coisas.

É claro que não é uma tarefa fácil praticar esse amor. Se fosse fácil boa parte dos problemas do povo de Deus estariam resolvidos. Realmente amar a quem nos ama é fácil, difícil é amar a quem nos persegue, a quem nos oprime, a quem nos tem por inimigos, a quem pensa e age de forma diferente de nós. Porém, é possível sim amar essas pessoas, Deus nos capacita para isso através da pessoa do Espírito Santo. Pois o amor é um dos frutos do Espírito. Devemos então nos avaliar, ver o que há de errado em nós, pedir perdão e perdoar quando necessário e, principalmente, recorrer com humildade ao Espírito Santo para que Ele produza em nós esse fruto tão precioso.

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

 


 

Qual é a parte central do amor cristão? Jesus disse: “Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:35). João, inspirado pelo Espírito Santo, escreveu certa vez: “Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte” (1 João 3:14). E “Assim sabemos que amamos os filhos de Deus: amando a Deus e obedecendo aos seus mandamentos. Porque nisto consiste o amor a Deus: obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados” (1 João 5:2-3).

Amor Cristão – Não é um sentimento, mas um estilo de vida

Então, o que essas escrituras a respeito do “amor cristão” realmente significam? É uma sensação calorosa? Eu não tenho uma sensação calorosa por todas as pessoas que conheço, cristãs ou não – isso significa que não sou salvo? Não, um “sentimento caloroso” não é a definição bíblica de “amor”. Então, qual é a definição bíblica de amor? Vamos pesquisar as Escrituras para descobrir…

Um fariseu perito da lei uma vez perguntou ao Senhor: “’Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’ Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas’” (Mateus 22:36-40).

Segundo o Evangelho de Mateus, a própria essência da Lei e dos Profetas é amar a Deus e amar aos outros. Vemos esse termo “a Lei e os Profetas” usado em mais um lugar no Evangelho de Mateus. É nesta passagem que encontramos a definição bíblica do amor: “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam; pois esta é a Lei e os Profetas” (Mateus 7:12).

Você gostaria que sua mulher cometesse adultério? Ou que alguém matasse você ou alguém que você ama? Você gostaria que alguém o roubasse, mentisse a você, cobiçasse suas posses? Claro que não! Portanto, não faça essas coisas com outras pessoas! Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos comanda: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei. Pois estes mandamentos: ‘Não adulterarás’, ‘não matarás’, ‘não furtarás’, ‘não cobiçarás’, e qualquer outro mandamento, todos se resumem neste preceito: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da lei” (Romanos 13:8-10).

No Evangelho de Lucas, Jesus elabora um pouco mais esse princípio de “façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam”. Ele diz: “Dê a todo o que lhe pedir, e se alguém tirar o que pertence a você, não lhe exija que o devolva. Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles. Que mérito vocês terão, se amarem aos que os amam? Até os ‘pecadores’ amam aos que os amam. E que mérito terão, se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os ‘pecadores’ agem assim. E que mérito terão, se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os ‘pecadores’ emprestam a ‘pecadores’, esperando receber devolução integral. Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus. Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso” (Lucas 6:30-36).

Amor Cristão – Amor Abnegado e Generoso

O amor cristão é dar aos outros o que você gostaria que dessem a você se estivesse na situação deles – e é fazer isso mesmo se não puderem pagá-lo de volta. Na verdade, é fazê-lo especialmente se não puderem pagá-lo de volta! O amor cristão é respeito pelos outros. É misericórdia. É caridade.

Quando os tradutores da versão do Rei James tiveram que traduzir a palavra grega agape (Amor de Deus), além de usar a palavra inglesa “amor” como uma transliteração, muitas vezes escolheram a palavra “caridade”. Isso tinha a intenção de reforçar a noção de que agape é um amor abnegado e generoso. O amor de Deus é abnegado e incondicional. Agora sabemos o que se entende por amor cristão e pelo que devemos lutar…

Cresça mais agora!

_________________________________-

TAG FAMÍLIA

O abecedário do casamento cristão

Depois de 28 anos de casamento, preparamos essa lista acróstica (“A a Z”) de conselhos PRÁTICOS para um casamento que honre a Deus, reconhecendo que, sem Ele, nada podemos fazer (Jo 15.5, Sl 127.1,2).

Abracem seus respectivos papéis de liderança amorosa e submissão respeitosa.

As mulheres sejam submissas a seus próprios maridos, como ao Senhor…Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja…Cada um de per si, também ame a sua própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido (Ef 5.22,25,33)

Busquem desenvolver sua amizade ao longo de suas vidas.

Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão (Pv 17.17)

Como o ferro com o ferro se afia, assim o homem ao seu amigo. (Pv 27.17)

Confiem única e exclusivamente em Cristo para construir seu lar

Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam (Sl 127.1)

Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes em teu próprio entendimento (Pv 3.5)

Desliguem a televisão!

Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará. Longe de mim o coração perverso; não quero conhecer o mal (Sl 101.3,4)

Escutem antes de falar.

O insensato não tem prazer no entendimento, senão em externar o seu interior (Pv 18.2)

Fujam da dívida!

O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta (Pv 22.7)

Gastem tempo juntos nas refeições (sem distrações).

Estas palavras…tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa…(Dt 6,6,7)

Honrem publicamente um ao outro

A esposa respeite a seu marido…Maridos…vivei a vida comum do lar, com discernimento; e tendo consideração para com a vossa mulher, como parte mais frágil, tratai-a com dignidade…(Ef 5.32; 1 Pe 3.7)

Invistam no Reino de Deus e coisas eternas: a Palavra de Deus, a Pessoa de Deus, o povo de Deus

Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de Deus…(Mt 6.33)

Jamais durmam bravos (guardando mágoas).

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo (Ef 4.26,27)

L ouvem a Deus JUNTOS na igreja

Consideremo-nos também uns aos outros para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima (Hb 10.24,25)…

Ministrem juntos

Eu e a minha casa, serviremos ao Senhor! (Js 24.15; 2 Co 6.14,15)

Nunca permitam que os filhos, pais ou outros terceiros sejam o CENTRO de suas vidas

Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne (Gn 2.24)

Orem juntos.

Orai sem cessar…orai uns pelos outros…Sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações (1 Ts 5.19; Tg 5.16; 1 Pe 3.7)

Peçam (e concedam) perdão (não desculpas) sempre que alguém erre.

Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta (Mt 5.23,24; Pv 28.13; Tg 5.16)

Quando não conseguem resolver um problema, procurem ajuda!

Como águas profundas são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los…Na multidão de conselheiros há segurança…Instrui-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria (Pv 20.5;  Pv 11.14; Cl 3.16  multidão)

Respeitem as opiniões contrárias um do outro: se os dois sempre concordarem, um é desnecessário!

Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea (Gn 2.18)

Separem os PRIMEIROS MOMENTOS depois de chegarem em casa para um “Tempo de Sofá”

Vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher, como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, por isso que sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida… (1 Pe 3.7)

Tirem a palavra “Divórcio” do seu vocabulário

O Senhor Deus de Israel diz que odeia o divórcio (Ml 2.16)

Unam-se diante dos filhos.

Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne (Gn 2.24)

Vão para cama juntos (no mesmo horário).

Não vos priveis um ao outro,salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e novamente vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência (1 Co 7.5)

Xingar, só cachorro!

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e, sim, unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e assim transmita graça aos que ouvem (Ef 4.29)

Zelem pelo prazer sexual DO OUTRO, não de si mesmo.

O meu amado é meu, e eu sou dele…A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, a mulher. (Ct 2.16; 1 Co 7.1-5)

Pr. Davi e Carol Sue Merkh